Gesoni Pawlick

De origem polonesa e nascido em 1946 em Anitápolis – SC, Gesoni Pawlick trabalhou com os pais na pequena propriedade da família antes de conhecer a capital do estado. Aos 13 anos, com a morte da mãe, foi morar com o tio em Florianópolis onde iniciou sua jornada. Como era irreverente e curioso, indagava com simpatia sobre o trabalho e afazeres de todos, captando experiência e conhecimento em várias áreas. Foi ajudante de padeiro, figurinista, ator de teatro, vendedor de tecidos e corretor de imóveis.

Percorreu um grande caminho antes de chegar ao topo da Alta-Costura no Brasil.

Com a esposa grávida da sua primeira filha, Luhana Pawlick – hoje diretora criativa da marca Gesoni Pawlick-, e a necessidade de maiores rendimentos para o lar, usou de seu conhecimento em tecidos para dar início a sua trajetória como estilista de Alta Moda.

Em 1975 com a ajuda do dono da loja de tecidos onde trabalhou, e a esposa que ajudava na parte de bordados e corte, começou e não parou mais a confeccionar vestidos de festa e debutantes. Autodidata e muito perfeccionista, somou ao conhecimento sua experiência com as peças até então confeccionadas e a cada evento que participava, novos elogios e pedidos eram feitos por cada vez mais pessoas. Como não conseguia mais conciliar o trabalho no ramo imobiliário com a confecção das peças, e inspirado e encorajado pelo amigo e estilista Galdino Lenzi, também catarinense, em 1976 voltou-se totalmente a costura.

Com o aumento da procura, em 1979 já contava com uma pequena equipe com costureiras, bordadores e alfaiate. Já era notado por profissionais da moda Catarinense pois seu nome já aparecia em todo o estado na forma das roupas de gala e prêt-à-porter. Apesar da infância mais rude, conviveu com pessoas “de posse” na juventude, e aprendeu a admirar ícones da pintura e música. Com simpatia no atendimento, seriedade e dedicação no trabalho, suas roupas alcançaram a elite catarinense.

Em 1984, construiu o atelier de mais de 400m², e em 1986 fundou a marca Gesoni Pawlick.

Sinônimo de bom gosto e vanguarda, alçou voo pelo Brasil e exterior rapidamente.

Com uma equipe de mais de 50 pessoas, entre alfaiates, bordadoras, modelistas, costureiras, etc., em 2005 abriu a Maison Gesoni Pawlick.

Firmou-se na alta moda brasileira com os exclusivos vestidos de noiva e debutantes bordados em cristais europeus e aplicações de rendas francesas, italianas e nacionais de alto padrão. Possuiu clientes nos EUA, Londres, Itália, França, Singapura, além das clientes que levavam seus vestidos para casar em outros países.

Ícone da alta-costura brasileira, todo o empenho e dedicação foram reconhecidos nos prêmios e menções que recebeu ao longo dos anos, inclusive no exterior com a coleção inspirada em Dubai.

Dizia que o vestido perfeito era aquele que vestia a alma,  satisfazia o desejo e realizava o sonho das mulheres para um dos momentos mais importantes de sua vida. Seu trabalho se diferenciava também no atendimento, já que fazia um número reduzido de provas dos vestidos: uma para definir o modelo após cuidadosa entrevista com a noiva, desenho e aprovação do modelo pela cliente, confecção da modelagem com a técnica de moulage e logo em seguida já fazia a 1º prova; na segunda visita a cliente provava e já levava o vestido.

Gesoni Pawlick deixou o legado de uma Haute Couture moderna e única, singular. Além de uma legião de fãs e clientes pelo Brasil todo.

Hoje a grife Gesoni Pawlick é levada pelos croquis da filha e estilista Luhana Pawlick.

“Antes de vestir uma mulher, você precisa entender sua alma…!”

Gesoni Pawlick